7 de jun de 2011

A juventude Salesiana te chama a combater o Bullying - 1º Desafio

O primeiro desafio das Equipes Paz e Vida foi o de pesquisar e preparar um material para ser postado aqui sobre o BULLYING, tema do Dia da Consciência que irá acontecer no dia 27 de Junho no na nossa escola. Cada equipe tinha liberdade para escolher como divulgar esta ideia aqui no Blog, valendo-se de criatividade, originalidade e conteúdo.

Vale lembrar que o tema do Dia da Consciência foi escolhido no ano passado, a partir de debates nas aulas de História do 8º ano 2010. A responsabilidade e criatividade pelo conteúdo é da Equipes do 8º e 9º anos. Confiram:






Bullying
 *Não há inimigo que derrota aquele que nasceu para vencer.
Grande parte das pessoas confunde ou tende a interpretar o bullying simplesmente como a prática de atribuir apelidos pejorativos às pessoas, associando a prática exclusivamente com o contexto escolar.
 O bullying se caracteriza por ser algo agressivo e negativo, executado repetidamente e que ocorre quando há um desequilíbrio de poder entre as partes envolvidas.

  Mas, o que é “Bullying”, afinal?

Bullying não é fácil de definir, por não existir uma palavra na língua portuguesa capaz de expressar todas as situações de “Bullying” possíveis. Este termo compreende todas as formas de atitudes agressivas, intencionais e repetidas entre iguais (estudantes), que ocorrem sem motivação evidente, adotadas por um ou mais contra outro(s), causando dor e angústia, e executadas dentro de uma relação desigual de poder, que tornam possível a intimidação da vítima.

Com certeza, existem diversos fatores que geram tal atitude:
  • A pessoa pode ter sido, alvo de “Bullying”
  • Pode estar querendo chamar a atenção;
  • A pessoa sente-se poderosa e superior aos outros.
  • A crença de que o “Bullying” trará popularidade dentro de um grupo;
  • Tem sentimentos de inveja ou ciúme;
  •  Pode ocorrer que os pais sejam cada vez mais distantes de seus filhos e com tudo isso comece a ser agressivos.
Depoimento: Será que seremos vitimas pra sempre?
Refleti muito antes de escrever esse tópico, porque acho delicado o assunto, mas necessário. Eu observo que muitas pessoas aqui passaram pelo que passei e isso ainda as machuca consideravelmente, como durante anos me machucou. E essa a pergunta que levanto aqui: Se um dia sairemos da postura da tristeza e do desabafo e passarmos a assumir a historia do Bullying em nossas vidas, mas nos recusarmos a carregar o rotulo. Sim, hoje eu tenho 30 anos e sofri bullying, mas me recuso a carregar esse rotulo. Eu sou eu, isso fez parte da minha historia, mas eu não terminei nela. As coisas que realizo em minha vida são tão maiores, que eu sei que a galerinha que fez isso comigo não chegaram tão longe na vida como eu cheguei.
Essa é uma mensagem de esperança. Desejo que todos como eu, arrisquem a serem mais e não deixar que esse acontecimento direcione a vida de vocês. Desejo que vocês sejam maiores. Mas para isso é necessário um primeiro triunfo, que é o triunfo sobre si mesmo. Levantem a cabeça e não sintam vergonha de vocês. Não se isolem dos outros, não se deixem intimidar. Pensem em pessoas que sofreram coisas piores na vida e seguiram em frente. Eu sei que Bullying traz sérios problemas psicológicos, mas infelizmente ainda somos nós quem resolvemos se vamos continuar vivendo essa historia e deixando que ela nos influencie ou se vamos nos permitir construir uma outra.
                                                                          (Juliana Oliveira, 30 anos)




DICA: Cuidado! Nem tudo é Bullying ! Ele acontece entre ímpares e não entre os pares! Essa palavrinha Bullying é fácil de falar hoje em dia, mas não podemos usá-la de forma indiscriminada para tudo! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário